Direcção espiritual

A direcção espiritual, talvez mais bem chamada acompanhamento espiritual, é uma ferramenta fundamental no crescimento espiritual de qualquer pessoa. Trata-se de uma relação continuada entre um "dirigido" – o que procura a direcção espiritual ou alguém que está a fazer exercícios espirituais – e um "director" – um padre ou outra pessoa qualificada para o efeito – com a finalidade de discutir, confrontar e conversar sobre a a vida espiritual do dirigido. Por meio dessa conversa e mediante alguma reflexão, o dirigido vai sendo capaz de se encontrar mais profundamente com a presença de Deus na sua vida, e vai conseguindo responder a Deus de maneira mais livre e completa, em todas as áreas da sua vida.

funcionamento

Tipicamente, a direcção espiritual é uma conversa de trinta minutos a uma hora entre o director espiritual e o dirigido, em tom informal mas sério, honesto e privado, que pode ter lugar no contexto de um retiro ou de exercícios espirituais, mas acontece sobretudo numa base regular ao longo da vida, normalmente uma vez por mês. A conversa é sempre liderada e conduzida pelo dirigido, e tem como foco a sua relação com Deus, em todos os aspectos da vida.

contexto e método

Na direcção espiritual, é o dirigido que assume a responsabilidade pela sua vida com Deus, comprometendo-se a analisar a sua relação com Ele de forma intencional e verdadeira, o que inclui uma dimensão de auto-conhecimento, para que possa saber melhor quem é este a quem Deus chamou à vida, e implica o desenvolvimento e a progressão dos hábitos de oração. Durante a direcção espiritual, director e dirigido tomam consciência da presença divina e da liberdade da resposta que a Deus pode ser dada, entrando num ambiente que promove a atenção aos movimentos do Espírito Santo na vida e no coração do dirigido.

O director espiritual pode ouvir, questionar, desafiar e dar suporte ao dirigido, sugerindo algumas orações esecíficas e propondo métodos que a tradição da Igreja foi desenvolvendo e que o ajudam a olhar com mais atenção e pormenor para algumas áreas concretas da sua vida – como a vida familiar, a vida profissional, as amizades e as vivências pessoais. Em última análise, é ao dirigido que cabe tomar a decisão de perseguir qualquer intuição que na direcção espiritual se desvele ou qualquer rumo que na conversa se conclua que traz benefício para a sua relação com Deus. Com efeito, o director espiritual é um facilitador do processo de crescimento na fé, e o dirigido deve apropriar-se completamente da viagem começada, que tem Deus como protagonista.

relação entre director e dirigido

Dada a natureza pessoal e íntima da direcção espiritual, a relação e a dinâmica pessoal entre o director e o dirigido tem uma importância primordial, e deve ser confortável para os dois, mas sobretudo para o dirigido. O dirigido tem o direito e deve sentir a liberdade de, depois de uma ou mais conversas, tomar a decisão de procurar outro director espiritual se, por qualquer razão, não estiver confortável com o dinamismo encontrado.

Direcção espiritual vs. terapia

Em contraste com o que acontece tipicamente em sessões de terapia ou de counseling, o acompanhamento ou direcção espiritual diz respeito à relação de uma pessoa com Deus, isto é, ao reconhecimento de Deus e à reposta a Ele, tanto na vida de todos os dias, como em assuntos concretos que se possa estar a viver, ou no meio de momentos específicos de alguma tribulação ou luta interior.

A terapia não se foca necessária nem fundamentalmente na relação com Deus e a resolução dos problemas não é o assunto primeiro da direcção espiritual, apesar de o poder ser na terapia. No entanto, se considerar oportuno, o director espiritual pode encaminhar o dirigido para algum tipo de terapia que complemente, facilite ou desbloqueie o percurso espiritual que se começou.