SÁBADO II DA QUARESMA

«Trazei depressa a melhor túnica e vesti-lha. Ponde-lhe um anel no dedo e sandálias nos pés. Trazei o vitelo gordo e matai-o. Comamos e festejemos, porque este meu filho estava morto e voltou à vida, estava perdido e foi reencontrado».


Lucas 15, 22-24




O evangelho de hoje mostra-nos o amor incondicional de Deus por cada um de nós. Este amor não esmurece pela distância e separação. É uma amor que permanece intocável, apesar de toda a asneira que possamos fazer!


Reconheço e aceito este amor? Como é que lhe respondo?


Pedimos hoje a graça da hospitalidade, de sabermos acolher e amar, como Ele, o outro, incondicionalmente.

Maria, que concebeste pela graça do Espírito Santo, faz de nós casa e abrigo para os outros.

Posts recentes

Ver tudo