SEGUNDA-FEIRA I DA QUARESMA

«Então os justos Lhe dirão: "Senhor, quando é que Te vimos com fome e Te demos de comer, ou com sede e Te demos de beber? Quando é que Te vimos peregrino e Te recolhemos, ou sem roupa e Te vestimos? Quando é que Te vimos doente ou na prisão e Te fomos ver?". E o Rei lhes responderá: "Em verdade vos digo: Quantas vezes o fizestes a um dos meus irmãos mais pequeninos, a Mim o fizestes"»

Mateus 25, 37-40




Jesus revela o fundamento de toda a moral cristã: "a mim o fizeste", identificando-se radical e ultimamente com o pobre. Santa Teresa de Calcutá chamava-lhe o "disfarce perturbador de Jesus no mais pobre dos pobres". Diante de um Deus que se esconde inquietantemente no pobre, preciso de aprender que o outro – qualquer outro – é sempre um bem, porque nele está o próprio Deus.


Neste sentido, estes quarenta dias são o prazo que Jesus me dá este ano para aprender a reconhecer em cada outro os traços inconfundíveis de Jesus.


Maria, que te levantaste e partiste apressadamente, ensina-me a servir desinteressadamente

Posts recentes

Ver tudo

CONTACTOS

Onde estamos?

Edifício da Biblioteca
João Paulo II:
a Capela é no piso -1

e a Capelania é no piso 2.

missa

Domingo à uma

no zoom.

confissões

A combinar
com o capelão.

favpng_logo-whatsapp-icon_edited_edited.

Contactos

  • Facebook
  • Instagram

©️ Capelania da Universidade Católica Portuguesa, Lisboa, 2021